Home / Destaque  / Tocantins repete jogo de forças dois meses após eleição suplementar

Tocantins repete jogo de forças dois meses após eleição suplementar

Estêvão Bertoni/VEJA | Imagem: Divulgação O governador do Tocantins, Mauro Carlesse (PHS), que tenta a reeleição, é o preferido de metade dos eleitores do estado apenas dois meses após ter saído vitorioso das urnas nas eleições suplementares

Estêvão Bertoni/VEJA | Imagem: Divulgação

O governador do Tocantins, Mauro Carlesse (PHS), que tenta a reeleição, é o preferido de metade dos eleitores do estado apenas dois meses após ter saído vitorioso das urnas nas eleições suplementares de junho. Ele lidera com 50% das intenções de voto a pesquisa Ibope divulgada em 17 de agosto.

Desde que o Tocantins foi criado, na Constituição de 1988, dois grupos se alternam no governo: o de Campos (quatro vezes eleito por partidos como PDC, PPR, PFL e PSDB), do qual Carlesse faz parte, e o de Marcelo Miranda (três vezes, com o MDB).

No meio deste ano, os eleitores tocantinenses tiveram que escolher novamente seu governador porque Miranda, eleito em 2014, foi cassado pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral) em março, acusado de fazer caixa dois de campanha naquele ano.

Ao ser afastado, ele engrossou uma lista de polêmicas envolvendo sua carreira política. Em 2009, havia sido cassado, então em seu segundo mandato como governador do Tocantins, acusado de abuso de poder político, por ter distribuído óculos e criado cargos comissionados no período eleitoral. No ano seguinte, foi eleito senador, mas acabou impedido de assumir pela Lei da Ficha Limpa.

Carlesse presidia a Assembleia Legislativa e passou a comandar o Tocantins interinamente antes de ser eleito no segundo turno, contra o senador Vicentinho Alves (PR), num pleito marcado pelo desinteresse: a taxa de abstenção foi de 34,9%. O número de votos nulos chegou a 23,46%, e o de brancos, a 2,59%.

Os adversários que mais o ameaçam, segundo a pesquisa Ibope, são o ex-prefeito de Palmas Carlos Amastha (PSB), que compôs chapa com o MDB de Miranda e aparece em segundo, com 19% das intenções de voto, e o ex-juiz Márlon Reis (Rede), que foi um dos idealizadores da Lei da Ficha Limpa. Ele é o autor do texto, de 2010.

Nas eleições suplementares de junho deste ano, Reis também concorreu ao cargo, mas ficou apenas em quinto lugar, com 9,9% dos votos. No levantamento do Ibope, aparece em terceiro, com 7%. Cesar Simoni (PSL) tem 2%, e Bernadete Aparecida (PSOL), 1%. Brancos e nulos somam 15%, e outros 6% não souberam responder ou não responderam.

Senado

A senadora Katia Abreu, hoje no PDT, também concorreu no pleito suplementar, mas só alcançou o quarto lugar, com 15,66%. Agora, ela concorre como candidata a vice-presidente na chapa de Ciro Gomes. Para o Senado, Siqueira Campos lidera a pesquisa Ibope, com 31% das intenções de voto, seguido por Vicentinho Alves (PR), com 29%. Neste ano, o Tocantins vai eleger dois senadores.

Pesquisa Ibope, de 17 de agosto

Mauro Carlesse (PHS) – 50%
Carlos Amastha (PSB) – 19%
Marlon Reis (Rede) – 7%
Cesar Simoni (PSL) – 2%
Bernadete Aparecida (PSOL) – 1%
Brancos/nulos – 15%
Não sabe/não respondeu – 6%

Registro: TO-07815/2018. O Ibope ouviu 812 pessoas. A margem de erro é de três pontos percentuais, e o nível de confiança, de 95%.

Conheça os candidatos ao governo do Tocantins:

Bernadete Aparecida (PSOL), pedagoga
Vice: Ney Robson (PSOL)

Carlos Amastha (PSB), empresário
Vice: Oswaldo Stival (PSDB)
Coligação: PSB, MDB, PR, Podemos, PSC, PSDB

Mauro Carlesse (PHS), governador do Tocantins
Vice: Wanderlei Barbosa (PHS)
Coligação: PHS, Solidariedade, PP, DEM, PTC, PRB, Avante, Patriota, Pros

Cesar Simoni (PSL), advogado
Vice: Paulo Lima (PSL)

Marlon Reis (Rede), ex-juiz
Vice: José Geraldo (PTB)
Coligação: Rede, PRTB, PTB, PCdoB, PT, PV, PDT, PSD

dev@agenciaccm.com.br

Review overview
NO COMMENTS

POST A COMMENT